terça-feira, 21 de maio de 2013

Histórias de Terror Assustador que dão Medo!



“Eu vi, vi um lobisomem!”

Essa afirmação receberia certamente muito pouco crédito, não fosse de um senhor muito respeitado por sua seriedade, o tom sério, a ausência de sinais que denotam uma mentira, e, especialmente pelo estado em que se encontrava quando a disse pela primeira vez.

Na cidade de Jacareí, no interior do estado de São Paulo, onde hoje há um loteamento, décadas atrás era uma campina sem nada, um tipo de local ao qual se costumava chamar de “esmaga-sapo”. Nessa campina existia um matadouro no alto de um morro.

O senhor de quem estou falando, cuja história me foi relatada, foi um funcionário desse matadouro. Ele se locomovia para o trabalho usando um cavalo, que deixava amarrado lá embaixo na campina.

O expediente acabava tarde da noite e os funcionários se reuniam em torno de um tanque, destinado a lavar os utensílios de trabalho, especialmente facas. Costumavam se apegar às conversas, de modo que não havia tanta pressa ao final do expediente.

Numa noite de sexta para sábado e de lua cheia, depois de terminado o trabalho, como fazia todas as noites, aquele funcionário foi buscar o seu cavalo na campina.

Mas algo lhe surpreenderia nessa noite, tornando-a uma assustadora lembrança.

Quando tinha acabado de desamarrar seu cavalo, segundo ele conta, ele avistou uma criatura se aproximar. A princípio um vulto, que lembrava um cachorro, porém muito maior e veio andando apenas sobre duas patas, suas orelhas, conta o senhor, eram enormes e as pontas se tocavam acima da cabeça. Ele fugiu apavorado em direção ao tanque, sendo perseguido pela criatura. Ele corria a toda velocidade que conseguia com a criatura, mais veloz, se aproximando. No meio da subida do morro para o tanque, quando a criatura o estava quase alcançando, ela subitamente parou e fugiu de volta para a campina.

O homem exausto, esbaforido, olhos arregalados, “tremendo feito vara verde” demorou a conseguir pronunciar “Eu fui perseguido por um lobisomem”. Seus colegas de trabalho não viram a perseguição devido à escuridão local, que apesar da lua cheia, sem nenhuma outra iluminação, se não uma lâmpada próxima ao tanque, não era possível à vista naquela distância. Os colegas argumentaram que poderia ter sido um lobo, um cachorro ou algum outro animal. Mas não duvidam que ele acreditasse piamente ter sido a lendária criatura do lobisomem que o perseguira. E ele assegura até hoje que o que ele viu, e que o perseguiu não era nenhum animal conhecido.

Terá sido por ser um lobisomem que a criatura deteve a perseguição para fugir por ter visto o brilho prata das facas no tanque do matadouro, uma vez que, reza-se que lobisomens tenham medo de objetos prateados? E teria sido isso o que salvou a sua vida?



...beijinhos***

6 comentários:

  1. Meu avô contava que ele e os amigos antigamente já perseguiram um lobisomem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. =| Mais um relato de lobisomem! Deve ser uma boa história!

      Excluir
  2. Ih, o coitado do cara deve estar tomando comprimidos p/ conseguir dormir até hj.
    ótima história.
    Beijos
    :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já pensou? =|
      Que sustão!
      Obrigada!

      ...beijinhos***

      Excluir
  3. Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come.

    ResponderExcluir